domingo, 18 de janeiro de 2015

O Natal saúda-nos a todos



Os dias passam depressa! Ainda há pouco vivemos um Natal e já estamos novamente na vivência de outro Natal e no início de um novo ano.
Durante o decorrer mais ou menos acelerado destes dias, teremos vivido muitos encontros e desencontros. Não será possível enumerá-los todos, mas todos nos deixaram marcas, pois se estivermos bem atentos à vida nada nos será indiferente!
O final de um ano é sempre um tempo propício para o encontro: com patrões e colegas de trabalho, com os mais diversos membros de associações, com familiares e amigos, com membros dos mais díspares grupos... encontros que muitas vezes acontecem à volta da mesa a estreitar os laços de amizade de que tanto necessitamos para nos sentirmos realizados e felizes!
Mas o final de um ano é, antes e acima de tudo, tempo de nos encontrarmos connosco mesmos para pensarmos seriamente em tudo o que fizemos para o nosso crescimento como pessoas e nos esforços dispendidos junto de quem nos rodeou para que pudessem crescer também.
Aconteceram, certamente, encontros menos agradáveis que nos terão feito olhar para todos os lados, dar muitos ais, ou até mesmo deixar cair algumas lágrimas… mas não fomos criados para sofrer com o menos bom que nos acontece! Muito pelo contrário, fomos criados para ser felizes, e o menos bom apenas servirá para tirarmos lições de vida e com a correcção de erros aprendermos a ser cada vez melhores pessoas.
Olhar o passado só é bom para nos alegrarmos no rever dos bons momentos e nos prepararmos melhor para o futuro. E quando a parte negativa nos quiser prender a atenção, temos de arranjar coragem de resistir procurando ver sempre o lado bom das coisas, o que às vezes é difícil de enxergar! Mas… temos de lembrar que tudo o que somos é fruto dos acontecimentos por que tivermos passado e das lições aprendidas! Na hora em que a amargura surge parece que ficamos sem cabeça… mas o tempo nos levará a ver que foi o sofrimento que mais nos ajudou a crescer.
Nestes tempos difíceis, a época natalícia para muitos é de aflições pela falta dinheiro para as prendas, brinquedos, alimentação mais cuidada ou roupas novas. Mas o Natal não é nada disso!
Diz alguém muito importante que “O Natal é a gente ter coragem de olhar para nossa história e dizer ‘eu não quero continuar desta forma’.” E é mesmo assim!
O Natal é ter coragem de ver o lado positivo até do mais repelente e estúpido, é sair do negativismo e renascer para atitudes novas, é ser feliz a viver com o pouco que se tem, é não ter dinheiro para cabeleireiro ou manicura… cortar e limpar sabiamente unhas e cabelos e sentir-se bem assumindo-se tal como se é, reconhecendo a nossa suma importância de pessoas únicas e irrepetíveis, imensamente amadas por Deus, que ama a todos e cada um em particular, indiferentemente do que a pessoa fizer ou quiser! Deus é Amor e não faz nada que não seja por amor!
Sabemos que não devemos olhar só para nós egoisticamente, mas temos de gostar de nós para podermos gostar e fazer algo de bom por quem nos rodeia.
Que esta época seja recheada de partilha, solidariedade, satisfação, carinho, ternura, compaixão, compreensão, escuta, palavras amigas, amor, perdão e fraternidade!
Feliz Natal e Ano Novo… com muitos e bons encontros connosco e com toda a gente. 


Hermínia Nadais

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

A Natureza em festa!



A noite estava adiantada! O tempo fresco! E eu pronta para mais um dos meus encontros a que de forma alguma queria faltar! Sim, porque o desenrolar da vida é todo feito de encontros e desencontros, e este, sempre o imaginei belo, útil e necessário! 

O carro ficou distante! Depois de alguns largos metros, encontrei a porta da Assembleia aonde me dirigia aconchegada por jovens sorridentes e hospitaleiros que me olharam carinhosamente: “Vem para a Palestra? Faz favor de entrar!”

Entrei! Entrei num local onde antes não me lembra ter entrado alguma vez! Estava habitado por um ambiente muito familiar, no final de uma refeição entre familiares e amigos!

A avó do palestrante veio ao meu encontro levar-me até ao neto, e, na ausência de amizades mais íntimas para mim, a preocupação era que eu ficasse junto de alguém com quem eu me sentisse bem integrada. E foi o que aconteceu. 

Depois de algum tempo de amena e gostosa cavaqueira, foi preciso descer ao salão inferior para o início do trabalho, anteriormente preparado até ao ínfimo pormenor!

De casa bem recheada e num ambiente confortável e acolhedor, estava tudo pronto para começar! Como introdução foi apresentado um filme, curtíssimo mas belo e elucidativo!

 Depois, sucederam-se paisagens maravilhosas com animais atraentes e diversificados.

A acompanhar a exibição de cada animal uma explanação entusiasta e entusiasmante, científica e primorosa das características especiais de cada espécie e dos cuidados havidos com as que se encontram mais em vias de extinção, bem assim como do seu habitat natural que se dispersa em locais bem distintos ou indiferenciados de Sul a Norte do País, com acentuada predominância sobre os de Vale de Cambra e arredores, acrescido ainda de referência às mais variadas zonas do planeta por onde as mesmas espécies vagueiam em maior ou menos quantidade.

Para finalizar, uma primorosa, delicada, reflectida, e apaixonante chamada de atenção aos cuidados a ter com a preservação da Natureza, de modo a prevenir a extinção de todas as espécies que a tornam tão bela e atraente quanto útil e necessária.

No desenrolar de todos os acontecimentos desta Palestra intitulada “Labirintos da Fauna”, no rigor científico aprumado e eficiente em que esteve envolvida e na simplicidade e singeleza com que foi apresentada, pude encontrar-me com as belezas mais encantadoras que imaginar se possa! Belezas do reino animal, vegetal, e Humanas! No recatado espaço, vivi e senti, ao meu redor, muitas belezas Humanas, que não é possível nem sensato descrever!

Nestes momentos emotivos tive a sensação de estar, algures, numa maravilhosa Festa da Natureza! Sim, porque a Natureza, com todos estes encantadores e aconchegantes mimos, tinha mesmo de estar em festa! E esteve em festa, e está em festa, com toda a certeza! E eu, encontro-me cada vez mais na Festa da Natureza, como parte integrante dessa festa!

Pena… esta Palestra não poder chegar a um ainda maior número de pessoas… a todas as pessoas… pois só com muito amor de todas as pessoas poderá haver o devido respeito pela Natureza.

Desencontrada um pouco dos bons encontros da vida e de mim pelo amontoado exigente dos afazeres diários, preciso destes encontros para me poder reencontrar, recolocar e desejar de novo penetrar nos mais variados locais de encontro que tão úteis e precisos são para a felicidade de todos nós! Sei que é difícil acreditar no que digo, pois para crer… é preciso experimentar, ver e sentir!

Obrigada Pedro! Agora, depois de tudo o que vi, vivi e senti, compreendo melhor o seu dinamismo, dedicação, entusiasmo, interesse e determinação! Obrigada também a toda a equipa que o acompanhou na maravilhosa e extenuante tarefa!

E até outra ocasião… com mais… encontros e desencontros!

Hermínia Nadais