sábado, 8 de Novembro de 2014

Num único dia!...



 
No desenrolar afável ou tortuoso dos dias, nós nem sequer pensamos, mas a vida é toda feita de encontros e desencontros, connosco mesmos e com tudo quanto nos rodeia!
A cada amanhecer podemos dar connosco satisfeitos e felizes por uma noite bem dormida ou com uma má disposição horrível do sonho que correu mal e nos deixou com vontade de partir tudo em pedaços!
O tomar do café pode acontecer a sós, desencontrados de nós mesmos pela má disposição  da noite… ou encontrados connosco pela calma harmoniosa do Sol a iluminar o dia que começa; também pode ser um momento de aguentar a esposa, marido, filhos, ensonados… a torcerem-se uns para cada lado porque é hora de ir para a escola ou trabalho que se faz por obrigação… ou alegrar-nos com as suas caras risonhas e satisfeitas por mais um dia de estudo ou trabalho a fazer com muito amor e dedicação, convivendo fraternal e harmoniosamente com colegas e amigos!
Ao abrir da janela ou sair da porta podemos encontrar sol risonho e céu azul ou o cinzento escurecido pelas nuvens carregadas de chuva num nevoeiro mais ou menos espesso que mal deixa respirar… ou desencontrar-nos de tudo isto não conseguindo sair das nossas rabugices e insatisfações doentias para prestar um pouco de atenção à natureza e a quanto nos rodeia!
Podemos ser parte de uma família satisfeita com o que tem, sossegada com a vida e feliz com tudo o que acontecer… ou tremendamente angustiada pela falta de emprego, alimentação, vestuário, ou o que é pior ainda, a pior de todas as pobrezas que é a falta de um pouco de carinho e ternura que o rodar veloz do tempo ou as impertinências das situações vão roubando a cada instante!
Na ida para o trabalho, escola ou simplesmente para o café ou mercado… podemos ir de cabeça erguida e olhar aberto ou carrancudos e acabrunhados por não conseguir aceitar com serenidade nada do que acontecer à nossa volta; e podemos encontrar pessoas ressabiadas e comprimidas até mais não, ou descontraídas e confiantes e a respirar lealdade e fraternidade por todos os poros!
Ao almoço e jantar, podemos desligar-nos da TV ou mesmo calá-la de vez para trocar impressões sobre os acontecimentos do dia… ou prestar a maior atenção aos noticiários… não para podermos maravilhar-nos com o bom que o mundo tem e o bem que os homens vão fazendo mas com toda a espécie de mal que atormenta a Sociedade e a Comunicação Social nos lembra todos os dias e a todos os momentos!...
Ao deitar-nos… podemos recordar calmamente o dia com tudo o que teve de bom… ou revoltar-nos com algo menos razoável que tenha acontecido!
Apenas num dia… que são vinte e quatro horas! Quanto tempo de vida podemos aproveitar em pleno… ou pela nossa pobreza de saberes, ideias, valores, ou pura distracção, quanto de belo e bom podemos desperdiçar… esquecidos de que este nosso procedimento é para nós a maior de todas as perdas… pois o tempo perdido é irrecuperável, nunca mais voltará!
A vida será mais rica e agradável se dela aproveitarmos todos os segundos, fazendo dos seus encontros e desencontros os melhores momentos de experiência e aprendizagem!
Tudo de bom! Até à próxima!

Hermínia Nadais

In "A Voz de Cambra"

sábado, 27 de Setembro de 2014

Recomeçando!...



ENCONTROS E DESENCONTROS


Recomeçando!...


Incentivada e fortemente acariciada… não sei muito bem como… mas aqui vai um recomeço!

A vida é linda, maravilhosa, e se me dão esta oportunidade de voltar a sentir o carinho dos meus leitores, eu não posso desperdiçar! Obrigada!

Como estamos em Setembro, apetece-me falar das minhas maravilhosas férias em família, de casa cheia e corações ardentes de calor humano e muito amor!

Nada paga o aconchego familiar… o beijo afectuoso do marido, filhos, genro, nora, netos e sogra, irmãos, cunhados, sobrinhos… uma família bem recheada! Depois, o encontro com outros familiares mais afastados… e com amigos! Tudo é muito bom!

Falta ainda a saudade dos grupos habituais… no desejo do tão querido reencontro…

E também, ainda… de dar umas voltas por aí, na casa ambulante, a dois, para lembrar os tempos nunca antes vividos desta forma tão singela e peculiar! É muito bom, sabem? Pena que não seja acessível a todos, era o que eu mais desejava! Bem-estar e felicidade para toda a gente.

Agora, pensando no futuro, acho que iremos passar alguns momentos felizes a folhear as páginas deste querido jornal de que tanto gostamos e gosto, o jornal da nossa querida e estonteante terra que, com tudo quanto tem de bom e menos bom, nos vai acolhendo os dias e os cabelos nevados e dando asas e guarida aos nossos descendentes que tanto amamos!

Tinha um texto feito que perdi não sei por onde, e este foi feito à pressa, em pouquíssimos instantes… para não perder a coragem e determinação.

Até breve, amigos! Com algumas partilhas que talvez, quem sabe, nos poderão fazer crescer a todos, um pouquinho mais!

Beijinhos!




In "A VOZ DE CAMBRA"